Bem vindo ao All Hockey Brasil / All Habs Brasil

Não Julgue Um Esporte Pela Manchete

By on abril 13, 2013 in Fan Focus with 3 Comments

por Louise, Escritora em Português Brasileiro, All Habs Brasil

“Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo – quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.” – Clarice Lispector

CURITIBA, BR – Começo esse artigo citando a grande jornalista e escritora, Clarice Lispector. É claro que Clarice e hockey são temas diferentes, então por que citar ela em um artigo sobre hockey. Não é a escritora, mas sim a frase, que expressa bem o medo do desconhecido, do novo, da falta de capacidade nossa como humanos de não saber lidar com aquilo que não faz parte do nosso repertório.

Quero por meio desse artigo questionar a forma que a grande mídia Brasileira vem tratando o Hockey e em especial a NHL. Chegou aos meus ouvidos comentários sobre uma grande emissora de programas esportivos, que em um programa já tarde da noite apresentou o Hockey como um esporte brutal e violento. Infelizmente essa não é a primeira vez que vejo um canal nacional falando besteiras sobre um esporte Norte Americano.

Apresentar o Hockey para seus espectadores, mostrar o esporte, suas regras, seus jogadores, as grandes jogadas, os eventos é algo bom. Agora exibir vídeos de brigas de Hockey e resumir o esporte a isso é ofensivo.

Falar sobre o que os senhores jornalistas esportivos não entendem de uma forma irresponsável é terrível. Me desculpem, vocês podem ser excelentes falando sobre futebol, basquete, vôlei, F1, tênis, agora quando o assunto é NFL e NHL vocês deixam muito a desejar. E eu até entendo, não é a especialidade de vocês, mas como jornalistas, pessoas cuja função é informar, mostrar um esporte como bruto e violento sem conhece-lo é absurdo.  Quando critiquei o comentário em meu perfil pessoal, escutei respostas de amigos fãs da NHL dizendo; “Eles não tem os direitos de transmissão, por isso tratam o esporte como fosse um lixo, para não perder espectadores”. E analisando bem, até que esse comentário não está enganado. Podemos pegar de exemplo a UFC, que até pouco tempo atrás muitos diziam que era um esporte de bruta montes, horrível, violento, sangrento e o que aconteceu? Uma grande emissora comprou os direitos de transmissão, transformou em um Reality Show, em grandes lutas transmitidas ao vivo (ou quase ao vivo) e até colocou em uma novela. Como fosse a coisa mais normal do mundo sair se esmurrando na rua, pelo menos é isso que acontece na novela.

Agora os mesmos jornalistas que babam ovo para a UFC virem dizer que Hockey é um esporte bruto. Por favor! Hockey sim é um esporte de contato, mas por causa disso os equipamentos tem avançado em tecnologia para manter os jogadores cada vez mais seguros. Se compararmos a máscara que Ken Dryden usava com a de Carey Price podemos perceber uma grande evolução em 40 anos. Ao contrário de outros esportes onde a única coisa que evolui é a chuteira.  Vamos partir do principio que até uma BIC dentro de um carro em movimento no caso de um acidente pode virar uma arma, graças a física e a aceleração da massa x o movimento. X= v.t (se eu lembro bem das aulas de física acho que essa é a fórmula) Dois jogadores de hockey, são homens fortes, pesados (musculo) mais o peso do equipamento, deslizando no gelo a uma velocidade alta. Quando as massas colidem causa um grande impacto, se a colisão é feita de forma maliciosa, pode causar grandes danos. Mas é por isso que as regras evoluíram com o tempo também. Para que houvesse um acordo do que é permitido e do que não é permitido para aumentar a segurança no jogo. Punições severas são dadas aqueles que descumprem essas regras. É claro que o comitê muitas vezes erra e deixa passar punições, mas em teoria é uma boa idéia para manter os jogadores na linha e evitar machucados desnecessários. Por que em um esporte de contato, lesões de ombro, joelho, cortes eventuais e pucks na cara podem acontecer. Mas não vamos ser ignorantes e achar que só na NHL e NFL acontece esse tipo de situação.  Esses dias o armador Helinho, da equipe de basquete de Uberlândia, levou uma cotovelada de seu colega de time durante o treino e foi parar na UTI. Ano passado uma tabela de basquete despencou em cima de um jogador causando eventualmente sua morte. No futebol temos ainda mais exemplos, podemos até falar da cabeçada de Zidane em Materassi na final da Copa do Mundo. Esportes de grupo, são esportes de contato e acidentes acontecem.

Conversando com um grande fã dos Canadiens, Thiago Santiago ele levantou a seguinte questão; “Infelizmente, ainda mais no hóquei, muitas emissoras apelam para a violência. Lembro-me do dia que o Max Pacioretty sofreu uma lesão quando o “jogador” Zdeno Chara o atingiu. Todos os noticiários falaram do lance e só. Aqui no Brasil é comum as pessoas falarem que ouviram falar do hóquei “por causa das brigas doidas no meio do jogo”. Eu escutava pessoas da minha sala de aula comentando sobre os lances. Não é só com as brigas que o hóquei ganha status negativo. Uma vez entrei num site de esportes de uma emissora mundialmente conhecida e vi o Canadiens como destaque. A matéria falava do riot que teve em Montréal quando ganhamos do Penguins e fomos para a Final da Conferência em 2010. A matéria dava a entender que os torcedores eram vândalos e selvagens, opiniões realçadas pelos comentários dos leitores.”

Vamos por partes, brigas; Brigas são permitidas no hockey, até aí é cultural, sempre aconteceu no esporte. Mas jogadores que brigam são punidos, de 5 a 10 minutos dependendo da falta de conduta esportiva. No futebol temos casos de brigas feias também e de falta de conduta esportiva, isso torna futebol brutal e violento? Se Luiz Fabiano, estiver em campo eu me preocuparia com os jogadores do meu time. Mas para a imprensa no Brasil isso é normal. Não é o momento da briga no jogo que eles ficam repetindo toda hora, são os gols, os lances bonitos da partida. Claro que briga dá ibope, mas eles valorizam o esporte. O que não fazem com esportes “gringos”.  Temer o desconhecido e diminui-lo por isso não é a solução.

Pai e filho torcedores dos Canadiens assistindo a partida na casa dos Sabres. (foto por: Bill Wippert /Getty Image)

Pai e filho torcedores dos Canadiens assistindo a partida na casa dos Sabres. (foto por: Bill Wippert /Getty Image)

Torcedores; Se você for em um jogo de hockey na vida, vai ser uma experiência de outro mundo. Torcedores do Bruins e do Habs conseguem sentar lado a lado em uma partida sem se matar. Podem xingar, brincar, mas não brigam (muito raramente). Por que!? Brigou em estádio, o torcedor é encaminhado para fora, proibido de entrar no estádio por determinado período. E se quando voltar brigar novamente pode ser proibido de frequentar o estádio. Riots, é acontecem eventualmente, mas tem certeza que podemos dizer que isso é algo que só acontece na NHL? Por que na cidade onde eu moro, toda vez que tem clássico, não dá para sair na rua, os pontos de ônibus amanhecem destruídos, fora os ônibus apedrejados e toda a força policial que tem que ser deslocada para garantir a saída em segurança do estádio. Pimenta no olho dos outros é refresco, não é mesmo!?

Enfim, levantei todas essas questões para pedir aos caros jornalistas de meios de comunicação conhecidos que não diminuam um esporte só por que não o conhecem. Pesquisem, vão atrás dos fãs, conversem com eles, entendam por que essas pessoas admiram um esporte que está tão longe daquilo que elas cresceram assistindo na TV. E se você que está lendo esse texto deseja saber mais sobre hockey e NHL, por favor, pergunte. Pelos comentários, pelo nosso twitter ou pela fanpage. Teremos prazer de responder sua dúvida. Vamos perder o medo daquilo que não conhecemos, dê uma chance para o novo, você pode acabar se surpreendendo com o que vai descobrir.

Tags: , , , , , , , , ,

Foto de perfil de Louise Boscardin

About the Author

About the Author: Louise (Lou) is a graphic designer who loves; Hockey, photography, music, movies, traveling and her pets. Her passion for hockey started in childhood watching Mighty Ducks (the cartoon), she grew up and her passion about hockey grew too. Researching about the sport she found out about Montreal Canadiens, and it was love at first sight. It took a while for her to watch a game live, but that day finally came at January 6, 2011, Habs vs Penguins. She describes it as one of the best moments of her life. The game against the Penguins was the first of 4 games she went while staying in Montreal. She loves the city, and her favorite place there is Centre Bell. Also she is the proud owner of Puck the Bunny! .

Subscribe

If you enjoyed this article, subscribe now to receive more just like it.

There Are 3 Brilliant Comments

Trackback URL | Comments RSS Feed

Sites That Link to this Post

  1. As Regras do Hockey – Parte I | All Hockey Brasil | março 13, 2015
  1. Thiago Pereira says:

    Achei super interessante o artigo. As pessoas falam mal do hóquei influenciadas por terceiros e, se forem conhecer um dia sobre o bom hóquei, verão que é muito mais legal que o futebol. Será que alguma emissora brasileira falou do que o Calgary Hitmen faz todo Dezembro? Ah, preferem falar de uma briga do meio do jogo…

    Parabéns pelo artigo.

  2. Thiago Pereira says:

    Achei super interessante o artigo. As pessoas falam mal do hóquei influenciadas por terceiros e, se forem conhecer um dia sobre o bom hóquei, verão que é muito mais legal que o futebol. Será que alguma emissora brasileira falou do que o Calgary Hitmen faz todo Dezembro? Ah, preferem falar de uma briga do meio do jogo…

    Parabéns pelo artigo.

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 

Top
Skip to toolbar