Bem vindo ao All Hockey Brasil / All Habs Brasil

As Regras do Hockey – Parte I

By on março 13, 2015 in Game of Hockey, Ignore, Rules with 0 Comments

Campinas, BR – Salve, torcedor Bleu, Blanc, Rouge!

Muitos conhecidos meus têm comentado que acham até legal aquele ~esporte esquisito que vale brigar~ ou dizem ~gladiadores do gelo, esporte para louco~, entre outras frases típicas de quem não conhece o hockey e só vê notícia ruim pela TV ou algum link com vídeos de brigas e contusões bizarras pela internet; sobre isso já foi até escrito um texto publicado há algum tempo atrás, e desse texto empresto a citação utilizada como introdução:

“Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo – quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.” – Clarice Lispector

A grande razão do preconceito é o desconhecimento, e, como grande fã de hockey que sou, começo com esse texto uma série de textos sobre as regras do jogo, e como o jogo é, para que o leitor comece à entender como, ao longo da história, as regras do jogo mudaram com o intuito de proteger a integridade física dos atletas, bem como tornar o esporte mais dinâmico e emocionante .

Na série “A História do Hockey” algumas mudanças de regras, principalmente os regulamento de torneios já vêm sendo apresentados, portanto, começo a série com a regra que eliminou o pânico no hockey, mas é, até hoje alvo de mudanças, discussões e controvérsias: o famigerado ICING (não, não tem nenhuma relação com cobertura de cupcake).

Na primeira metade da década de 30, os times líderes em gols marcados por partida dificilmente passavam a média de 2,5 gols, pois era muito fácil para a defesa, em situação de pressão, jogar o disco de qualquer jeito para o outro lado da defesa, obrigando o ataque a recomeçar na zona neutra. A regra foi então, em 1937, estabelecida para dificultar a ação da defesa nos momentos de pânico.

A regra basicamente consiste na proibição de um jogador que esteja atrás de linha vermelha central do rinque de “isolar” o puck para trás da linha vermelha do gol adversário, no texto oficial: “O disco não pode cruzar duas linhas vermelhas”; As variações e polêmicas em cima dela se dão na consequência da infração, e no momento em que é marcada.

icing 1

Nada como uma ilustração para explicar o icing.

 

Na NHL até a temporada 2013-2014, o Icing era marcado quando, após o puck ser isolado, um jogador adversário ao que lançou tocasse o disco, gerando assim, a possibilidade de, mesmo isolado o puck, fosse recuperado por um colega de equipe no campo de ataque, validando a jogada (desde que este saísse da zona neutra ou campo de defesa, mais detalhes no texto sobre o offside); contudo, essa brecha exclusiva da NHL e AHL (nos jogos internacionais e a maioria das ligas européias, logo que o disco cruza a segunda linha vermelha, já é apitado icing) causava muitas contusões, a razão, em física simples é: Dois jogadores, de massa em torno de 85-100Kg, patinando em velocidades que beiram os 50Km/h, se encontram nos boards com uma força de, aproximadamente 70 Newtons, para quem não entendeu assim, entenda assim:

A infração da regra gera um faceoff no campo de defesa do time infrator, sem o direito à troca de linha.

De forma que, os norte-americanos, em seu anseio em não seguir padrões internacionais, mas visando proteger seus atletas, criaram o sistema híbrido de marcação do Icing, este depende da intepretação do árbitro em considerar se há possibilidade real do jogador em chegar ao puck a tempo de afastá-lo, e se proteger ou esquivar do eminente contato. Este sistema foi testado na pré-temporada em 2013, e foi posto em prática na temporada 2014-2015, ainda em fase de testes, mas, provavelmente será consolidado, apesar das controvérsias em torno do excesso de dependência na interpretação da arbitragem.

Kreider_foot_race

Vantagem segura do icing híbrido.

 

 

Tags: , , , , , , , ,

About the Author

About the Author: .

Subscribe

If you enjoyed this article, subscribe now to receive more just like it.

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 

Top
Skip to toolbar